Colaboração busca expandir recrutamento de pacientes e tornar o Rio Grande do Sul referência mundial em pesquisa clínica.

O Hospital Moinhos de Vento e o Centro de Pesquisa Clínica em Oncologia Oncosite, de Ijuí, formalizaram o projeto de colaboração para acelerar e expandir a capacidade de desenvolver estudos. Com a parceria, as duas instituições poderão atuar em conjunto e fazer o recrutamento para testes clínicos simultaneamente; trocar experiências, tecnologias e expertise; e promover eventos científicos. O objetivo é ampliar o número de protocolos de pesquisa, de doenças avaliadas e de pessoas beneficiadas, além de qualificar a assistência prestada aos pacientes.

Para o superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, a parceria é importante para ampliar a atuação das duas instituições, retendo talentos, desenvolvendo o Estado e entregando excelência em saúde à comunidade. “A pesquisa clínica nos permite oferecer aos pacientes o que existe de mais moderno em terapias, em tratamento e medicina de ponta. Se somos o segundo melhor hospital do Brasil, sexto da América Latina e um dos únicos dois brasileiros entre os 100 melhores do mundo, é porque investimos em assistência, pesquisa e educação. Isso nos consolida como uma referência nacional. Não há nada que seja feito nos melhores centros de saúde do mundo que não tenhamos no Moinhos, então faz todo o sentido estarmos juntos com o centro que hoje atrai o maior número de estudos clínicos em oncologia do Brasil”, reforça Parrini.

O diretor do Centro de Pesquisa Clínica Oncosite, Fábio Franke, destaca que a ciência está em franca expansão no Brasil. Idealizador do Projeto de Lei 7082/2017 — que tramita no Congresso Nacional e visa regulamentar estudos clínicos com humanos dentro das normas internacionais, desburocratizando os processos e preservando a análise ética —, o médico oncologista vê nas pesquisas a esperança de vida para muitos pacientes.

“A distância faz com que muitos não se beneficiem das inovações disponíveis por meio dos protocolos. Para pacientes com doenças graves como câncer, essa proximidade da sua casa, ser bem acolhido e ter um atendimento de qualidade faz toda a diferença. A parceria vai abranger todo o Estado e vai proporcionar isso”, projeta Franke.

Além das pesquisas em Oncologia, o superintendente médico do hospital, Luiz Antonio Nasi, acrescenta que a instituição vem se destacando em pesquisas internacionais também nas áreas da Neurologia, Terapia Intensiva, Cardiologia e Endocrinologia. Desde a inauguração do Instituto de Pesquisas Moinhos de Vento, no início do ano, o número de protocolos dobrou, saltando de 44 em janeiro para 88 em julho.

“A gente quer continuar nesse ritmo de expansão, duplicando esse número novamente em 6 meses. Vamos começar vários projetos colaborativos, ampliando oportunidades para pacientes, com terapias modernas e inovadoras e os melhores tratamentos disponíveis que, potencialmente, podem ajudar nas doenças deles”, conclui Nasi.

FONTE: Grupo Mídia